X

CLIQUE E ENTRE JÁ
EM CONTATO CONOSCO!

11 2610-4004

atendimento@

11 98988-7666

VENDA EXCLUSIVA PARA REVENDA

VENDA EXCLUSIVA
PARA REVENDA

DISTRIBUIDOR OFICIAL DA GROWATT NO BRASIL

DISTRIBUIDOR OFICIAL
DA GROWATT NO BRASIL

PRIMEIRO SERVICE CENTER OFICIAL DA GROWATT NA AMÉRICA LATINA

PRIMEIRO SERVICE CENTER OFICIAL
DA GROWATT NA AMÉRICA LATINA

Energia Solar e Inteligência Artificial: Um Sinal de Esperança

27/05/2020

Energia Solar e Inteligência Artificial: Um Sinal de Esperança

A resolução da questão climática no mundo é urgente. 97% dos cientistas especialistas no assunto atribuem o aquecimento global à ação humana, especialmente a partir da Revolução Industrial. Houve aumento de 0,9 graus Celsius na temperatura da superfície terrestre desde o final do século XIX, bem como maior emissão de gases de efeito estufa, especialmente de gás carbônico (clique e confira o gráfico ao final da matéria). A maior parte do aquecimento global ocorreu nos últimos 35 anos e já houve 5 recordes de “anos mais quentes” desde 2010.

A energia solar, limpa e inesgotável (na escala terrestre de tempo), é uma excelente alternativa para substituir os combustíveis fósseis. O setor se desenvolve a passos largos no mundo e ainda há muito trabalho até que consigamos uma inserção expressiva da tecnologia fotovoltaica na matriz energética brasileira, uma vez que hoje ela responde por apenas 1,6% de toda a eletricidade produzida no País.

Felizmente, as pessoas que abraçam a energia solar entendem a importância desta causa e são normalmente incansáveis, buscando não apenas meios para torná-la mais acessível, mas ampliando e aprimorando o uso da fonte solar. É o caso da Heliogen, uma startup composta por cientistas e engenheiros do MIT, Caltech e outras instituições renomadas, financiada por Bill Gates e outros investidores, que pretende impactar setores industriais tradicionais com o uso da inteligência artificial. Trata-se de uma nova e impressionante tecnologia solar.

Hoje, ainda fazemos uso de combustíveis fósseis para gerar o calor necessário em certos processos industriais, como na produção de cimento, aço e vidro. A Heliogen descobriu uma forma de utilizar inteligência artificial e espelhos para refletir luz do sol e proporcionar um aquecimento acima de 1.000 graus Celsius. É como um fogão com capacidade de atingir ¼ da temperatura encontrada na superfície solar. Isso significa que a geração concentrada de energia solar, já conhecida e usada em pequena escala no mundo, acaba de ser aprimorada pela inteligência artificial a um novo patamar, sendo capaz de produzir até hidrogênio limpo em larga escala para, no futuro, alimentar caminhões e aviões.

A iniciativa é um esforço praticamente inédito em setores básicos da economia e ainda não contemplados com soluções sustentáveis. Só a indústria cimenteira é responsável por 7% de todas as emissões de gás carbônico, de acordo com a IEA (International Energy Agency). O objetivo da startup é oferecer uma alternativa aos combustíveis fósseis que seja mais econômica e livre de emissões. Uma penetração da solar em mercados base pode com certeza acelerar o mundo na direção de um planeta saudável.

É claro que a nova tecnologia ainda é embrionária, mas os cientistas já pensam em como contornar questões como a falta de sol através de sistemas de armazenamento, dentre outras, e têm pressa em viabilizar a solução para salvar o planeta. A Heliogen já está conversando com potenciais clientes e reconhece que o grande desafio será convencer a indústria tradicional a fazer os investimentos necessários para substituir os combustíveis fósseis. O maior argumento de venda é que a fonte solar é gratuita e praticamente inesgotável.

Enquanto isso, ficamos na torcida e continuamos fazendo a nossa parte na propagação da tecnologia fotovoltaica para que mais e mais pessoas se beneficiem de energia limpa e barata.

Confira, abaixo, vídeo que demonstra o trabalho da Heliogen.

Fontes: Nasa, ABSOLAR e CNN

O gráfico compara amostras atmosféricas obtidas a partir de geleiras com medições atuais, evidenciando o aumento dramático de CO2 desde a revolução industrial (Crédito: Luthi, D., et al.. 2008 Etheridge, D.M., et al. 2010 Vostok ice core dataJ.R. Petit et al. NOAA Mauna Loa CO2 record.).

O gráfico compara amostras atmosféricas obtidas a partir de geleiras com medições atuais, evidenciando o aumento dramático de CO2 desde a revolução industrial (Crédito: Luthi, D., et al.. 2008 Etheridge, D.M., et al. 2010 Vostok ice core dataJ.R. Petit et al. NOAA Mauna Loa CO2 record.).

Voltar